Afinal, como usar o Pix? Tire suas principais dúvidas

  • Novidades

Você sabe como usar o Pix? Esse é o sistema de pagamentos instantâneos brasileiro, desenvolvido pelo próprio Banco Central, lançado no final de 2020. Ele promete mudar a forma como as pessoas compram e realizam transações financeiras.

É muito provável que você já tenha ouvido falar no Pix, e pode ser que ainda existam algumas dúvidas. Então, continue lendo e descubra tudo sobre esse novo meio de pagamento e quais são suas vantagens!

O que é o Pix?

Como dito acima, o Pix é o sistema de pagamentos instantâneos brasileiro. Na prática, ele funciona como TED ou DOC, porém, a transação ocorre em segundos. Ou seja, você transfere, paga ou recebe na hora.

Como funciona o Pix?

O Pix pode ser feito de diversas formas. Pessoas e marcas podem transferir entre si e também para o Governo. Além disso, se a pessoa ou empresa para a qual você está transferindo não tiver Pix, ele funciona como uma transferência normal — em que você precisa da agência e conta.

Quais são os objetivos e as vantagens do Pix?

Os maiores objetivos (e vantagens) do Pix são excluir as taxas intermediárias e agilizar as transações. Em relação à agilidade, o sistema está disponível 24 horas e 7 dias por semana, incluindo feriados, sábados e domingos.

As transferências são praticamente imediatas, com o dinheiro caindo na conta de destino em questão de segundos. Isso se difere de um TED ou DOC, que podem levar algumas horas ou até dias.

Outra grande vantagem do Pix é que ele é quase sempre gratuito para pessoas físicas. As únicas exceções são quando a pessoa faz um Pix por um canal que não seja o digital, em um caixa ou telefone, ou quando vende um produto ou serviço.

O que são chaves e como fazê-las?

Para fazer as transferências e pagamentos é preciso usar as chaves Pix. São elas que identificam as contas e permitem as movimentações com segurança. Elas podem ser um e-mail, telefone, CPF/CNPJ, chave aleatória ou QR Code. As pessoas físicas podem registrar até cinco chaves, enquanto as pessoas jurídicas podem registrar até 20.

O QR Code estático é mais usado por pessoas físicas, em que é definido um valor e feita a transferência. Já o dinâmico é mais complexo, pois traz mais informações, como a identificação de quem comprou. Logo, é uma boa opção para quem é PJ.

Como fazer movimentações com o Pix?

Para fazer movimentações, você tem três opções. A primeira são as chaves. Cadastrá-las não é obrigatório, mas é um passo simples e que facilita os processos de recebimento e pagamento. Com elas, basta acrescentar uma única informação.

Sem usar as chaves, as movimentações ocorrem como se fosse um TED ou DOC. Ou seja, você precisa colocar o nome, CPF, instituição, agência e conta de quem vai receber. Já o QR Code é ainda mais simples. Se você está pagando, basta escanear o código. Para receber, precisa gerar o código e pedir a outra pessoa para escanear.

Viu só como usar o Pix é bem simples e apresenta vantagens que o tornam interessante? Contudo, como qualquer pagamento feito pela internet, é preciso garantir a segurança. Mesmo sendo feito pelo próprio Banco Central, fique de olho nas informações corretas para realizar qualquer transação.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, entenda como ter segurança para usar a internet!

Este artigo foi útil?

Fique por dentro de tudo que precisa saber para mandar bem

Assine nossas noticias